O Balneário

 Lugar que já serviu de paragens para o descanso de Lampião e seu bando e de retiros espirituais do Padre Ibiapina, recebe, atualmente, quase 250 mil pessoas por ano. O Balneário Termas do Caldas ocupa área de 76 mil m2 no pé da serra a uma distância de 12 quilômetros para o centro de Barbalha, município localizado no Sul do Ceará. Durante certas épocas a temperatura chega a 10 graus pela madrugada, um clima garantido pela vegetação da Floresta Nacional onde habita o pássaro Soldadinho do Araripe.
Uma dádiva da natureza que, para alguns, se constitui num pedacinho da Europa no sertão do Ceará com muitas árvores, flores e jardins. Por lá ainda está o Bebedouro de Lampião, onde o Rei do Cangaço costumava arriar os cavalos e pernoitar com seu bando após um bom banho. Quase 60 anos antes já era um local preferido e admirado pelo Padre Ibiapina nas suas andanças. Os que tinham fé no sacerdote a ele recorriam rogando curas.

O conselho era único para tomar banho nas águas “cálidas” das fontes e grutas ou beber destas quando os fiéis passaram a dar testemunhos de curas de doenças, principalmente dermatológicas e intestinais. Logo surgiu a fama de águas medicinais abençoadas pelo Padre Ibiapina o que ainda hoje persiste. Orientações parecidas eram dadas pelos médicos barbalhenses Pio Sampaio e Leão Sampaio e muitos pacientes “desenganados” recolhiam água das fontes na madrugada para tomar banho ou beber.Na Fonte do Bom Jesus, por exemplo, foi afixada uma placa na qual o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) aponta como as águas mais leves do Norte do País, classificada como mineral hipo-termais e enquadrada em tipos de águas medicinais. O departamento até recomenda a ingestão na própria fonte. Não demorou muito e o lugar ganhou a Capela de Bom Jesus dos Aflitos, que se tornou o padroeiro do povoado e, hoje, Distrito do Caldas com cerca de 3 mil habitantes.

As fontes jo20141102065000_meiorram 24 horas por entre as pedras e o bosque oferece lugares de descanso aos banhistas, seja nas redes armadas entre árvores ou na própria grama. São Oitis, Frei Jorge, Canafista, Jambo, Ingá, Gito, Pitomba, Louro, Ipê, Podói, Murici Verdadeiro e muitas outras árvores garantindo um ar puro e saudável. Em março de 2015, o Balneário do Caldas completa 40 anos de inauguração e trata-se de uma Sociedade Anônima com 82% do município; 6,8% do estado; 0,6% da EMBRATUR (Empresa Brasileira de Turismo) e o restante de 1.400 sócios.
Em quatro décadas, cresceu bastante e já conta com duas piscinas grandes, três para crianças com parques aquáticos, duas fontes de banhos jorrando 24 horas, três bicas, uma quadra de futsal, outra de vôlei de areia, dois campos de futebol society, 28 equipamentos em dois parques infantis, estacionamento para 107 ônibus, pontos de apoio para piquenique, lanchonetes e cinco restaurantes. Nestes, os pratos predominantes são o baião de dois com queijo ou pequi, farofa, peixe e galinha caipira.

O complexo possui ainda o Hotel das Fontes com 30 apartamentos, chalés num total de nove e, no Distrito, são muitas as casas de veraneio normalmente alugadas para temporadas e fins de semana. Além da festa do padroeiro no mês de agosto com liturgias e shows artísticos, outra tradição do lugar é o CarnaCaldas com muitas atrações durante o carnaval. O diretor João Bosco Sá Cavalcante praticamente tornou o balneário em sua casa e ali está há cinco anos sempre garantindo novidades aos banhistas a cada semana.
Para ele, nada melhor que o cheiro agradável da vegetação nativa e exuberante em meio a uma temperatura amena, o canto dos pássaros, o sopro do vento e o balanço das árvores numa sinfonia rejuvenescedora garantindo tranqüilidade e liberando stress.

Comentários estão fechados